Make your own free website on Tripod.com
BTT
Por Trilhos da Beira Baixa

Home

Night Street Fight Urban Trip
Urban Night Trip Pro
Classica Alvalade - Porto Covo
Maratona Portalegre 107 Km´s
Rota dos Duros
AntiBiotico Trainning
Serra de Montejunto
Passeio "PAPA KM´S"
Projecto MultiRodas
A Irmandade do Bolicao
Cabo VAI DE BOCA Espichel
Por Trilhos da Beira Baixa
Arruda dos Vinhos
Trilhos de Monsanto
Apostiça - Lagoa Albufeira - Apostiça
Cabo Espichel - Cabo Espichel
Km´s Percorridos 2004

BTT

POR TRILHOS DA BEIRA BAIXA

15 e 16 de Novembro 2003

 

Prémios

 

Luis Auto Hoje

Pernas de Chumbix

 

Pedro Pirata

Rapidix

 

Jorge Bolachas

Bussulamix

 

Rodrigo Bate Pala

Des Calçomix

 

Aqueles 9 km´s a descer , ficarão para sempre gravados na nossa memória.

Jorge Bolachas

 

Crónia por Luis Auto Hoje

 

3 horas da manhã.  Chuvia a potes. Os trilhos começavam a ficar cheios de água e a terra passa a ser lama. Pensámos: Amanhã de manhã já não saimos daqui, já não vamos, é impossível uma BTT aguentar tanto trilho mau. Mas o destino não era esse. Ás  9 horas da manhã lá estávamos nós todos preparadinhos e continuava a chuver.  Mas nada nos metia medo, então decidimo-nos pôr a caminho. Nos primeiros 100 metros não houve nada de especial, só aqueles gritos de loucura porque a chuva mergulhava nos nossos corpos. Com o "nosso sistema de navegação" , vulgo carta militar geográfica orientava-nos para as curvas a efectuar ........ ui ,  no primeiro km já nada estava seco, mas a primeira impressão é que é muito bom rolar nestes trilhos cheio de água... O nosso lider Jorge Bolachas com a sua carta militar nenhuma curva lhe escapava. Chegado ao primeiro entroncamento, a primeira indecisão, resultado: engano no circuito o que nos fez voltar para trás, aliás foi uma boa escolha voltar para trás porque existia aí uma descida incrivelmente inclinada e os nossos travões nada poderiam fazer! Logo de seguida houve  a primeira paragem por problemas técnicos, ou seja, afinar as nossas maquinas. Estávamos realmente sem travões. Qualquer um de nós tinha dificuldades em aguentar todos os cavalos da Bike, depois disso foi sempre a dar-lhe, descidas espetaculares até ao Rio Alva (Secarias). Percorridos 9 km, foi a nossa primeira paragem para comer umas barritas e descançar um pouco, todos estavam da mesma apinião,  até agora foi o melhor de todos os trilhos "lindo". Continuando pela "estrada" fora, a caminho de ARGANIL, onde estavam as nossas esposas a nossa espera na pastelaria, os trilhos continuavam magnificos e não nos sai da memória aquelas descidas excelentementes perfeitas, em que os 4 riders gritavam ISTO É QUE É BTTTTTTTTTT protegidos pela aquela chuva imensa, por aquele frio quentinho e pela adrenalina que todo o BTTista tem. Quando parámos, molhados que nem uns pintos e ainda a chuver, sentamo-nos na esplanada  da dita pastelaria e todos pediram um pastel de nata e um café. Toda a gente de todos os locais olhavam para nós, não sei se por admiração ou simplesmente para dizer olha para aqueles parvos andar de bicicleta a chuva. Na volta para casa, a 1ª paragem foi para ver o clube de Renaults antigos (lindos de morrer) que se encontravam em frente do Hotel de Arganil. Continuando o caminho e agora a circular pela estrada, na rotunda das secarias o Pedro Pirata e Jorge Bolachas viram o tio e ele perguntou se queriamos matar o bicho? Dissemos que não porque o tempo escasseava, mas se ele insistisse o Rodrigo BatePala não dizia que não! De volta ao caminho, que agora é sempre a subir ( ui que dor ) viramos para os Pousadouros e ao começar a subir o BatePalas teve problemas na sua máquina, mas o Bolachas que se vai afirmando como mecânico de serviço, lá resolveu mais uma pequena avaria. Depois de resolvida a subida continuava até que se parou na casa do Tio Toni e mais umas perguntinhas de matança do bicho.... e mais uma resposa negativa... O sistema de navegação continuáva-nos a indicar o caminho de viagem e apontáva que a proxima povoação a passar era Alvoeira e lá fomos... foi nestes brilhantes trilhos que o BatePalas teve outro problema, a corrente entalou-se no meio do carreto, este gajo está cá com uma sorte!!! Passando pela Alvoeira e com 28 km percorridos e 2h de andamento efectivo nas Bikes, só faltava o último percurso, Alvoeira Canhestro 5 km. Estes últimos 5 km´s foram ao ritmo do Verão Azul, com assobios e tudo porque aqui já nada nos fazia parar, ou seja, o caminho agora era sempre a direito ou a descer.

Chegámos às 13h15m e fizemos 33 km no total em 2h29m. A chuva foi a grande responsável por este passeio ter sido elegido pelo melhor de todos., sem ela não existia queles trilhos cheios de água, aquelas pequenas lagoas, aquelas derrapagens que nos fazem subir os calores, aquelas gotas de água suja que nos batia na cara....... VIVA A CHUVA  e obrigado por apareceres assim de vez em quando.

imagem-024_0001.jpg

imagem-014_0001.jpg

imagem-016_0001.jpg

imagem-023-001_0003.jpg

imagem-023-001_0002.jpg

imagem-014_0002.jpg

imagem-015_0001.jpg

imagem-023-001_0001.jpg