Make your own free website on Tripod.com








GR69 - Grande Rota das Aldeias Miticas

7ªEtapa














Home | O Projecto | O Objectivo | Equipa | Track GPS | A Preparação | 1ªEtapa | 2ªEtapa | 3ªEtapa | 4ªEtapa | 5ªEtapa | 6ªEtapa | 7ªEtapa | Estatisticas | Galeria | Contactos





7ªEtapa

1 Maio

Aldeia Velha/Avis – Almada/Feijó

Tipo de Etapa: Plana

Kms: 12.1

Media: 14,3

Tempo Movimento: 00:49:32

Tempo Total: 00:49:32

 

Chegou o último dia da Grande Rota das Aldeia Míticas.

A saudade já se sente.

É uma etapa onde o cérebro trabalha na área da recordações.

Ficamos um pouco nostálgicos e existe uma mistura de emoções

A grande emoção de acabar uma grande travessia e a espectacular sensação da conquista e uma emoção muito forte. Outra emoção que se realça é a tristeza que se sente que está a acabar uma jornada épica.

Com uma noite muito bem dormida, esperava-me uma etapa sem segredos. Já feito em Julho de 2006 e sabia que irai ser muito longa mas sem grandes dificuldades.

A única dificuldade desta etapa é a distancia. Estavam previstos 152 kms.

È uma etapa sem desnível e muito rolante. Com bons trilhos e bonitas paisagens alentejanas. Estava previsto o almoço em Coruche e a chegada ao destino a Almada às 17H

Resolvi partir cedo para que a média fosse mais baixa. Não cair na tentação de ir a “abrir” e depois rebentar. Diria que 17 km/h é uma boa média para esta etapa, se quisermos chegar sem problemas físicos.

Á 8H já estava a pedalar.

Sair da Aldeia Velha deixa-me sempre alguma saudade. Já fiz muitas “Trips” nessa pequena localidade que me marcaram bastante.

Quando saímos de casa entramos logo em trilhos maravilhosos. Como uma descida espectacular até à N.Srª das Arrabaça. Depois a passagem de um ribeiro e o começo de uma longa subida até ao estradão que vai ligar aos Foros do Mocho.

Esta é a parte em que tem mais desnível da etapa, mas nada de grave.

Aproveitei a beleza natural da zona e tirei bastantes fotos.

Quando comecei a rolar no estradão dos Foros do Mocho a média subiu bastante e foi nesse mesmo estradão e ao km 12, quando se deu a segunda avaria na bike da Grande Rota.

A pedaleira foi mal apertada quando colocaram o prato do meio. Resultado, fiquei sem pedaleira. O braço da pedaleira do lado esquerdo, simplesmente caiu.

Fiquei espantado. Chamei o carro de apoio e verificamos logo que se tinha desenroscado. Verificamos nas chaves que tínhamos trazido, se conseguíamos resolver a situação. Nada a fazer. Não tinha as chaves. Era dia 1 de Maio, estava tudo fechado. Fizemos uns contactos telefónicos, mas não conseguimos nada.

Resolvemos colocar a bike no carro e regressar a Almada/Feijó.

Realmente foi com alguma tristeza que por questões mecânicas acabei mais cedo o GR69, mas não fiquei desiludido de todo, porque já tinha feito aquela etapa e também porque a chegada a ao Canhestro/Arganil e à Aldeia Velha/Avis eram os meus grandes objectivos.

O não efectuar esta etapa completa, não retira qualquer sentimento de não ter conquistado a Grande Rota. Sinceramente, acho que fiquei bastante surpreendido por ter conseguido efectuar tantos quilómetros tão duros em solitário.

 

 

Notas:

Pequeno Almoço: 2 sandes de marmelada, 2 bananas e Néctar de Pêssego Lente e bolo

Barras consumidas durante o dia: 0

Agua consumida durante o dia: meio litro