Make your own free website on Tripod.com








GR69 - Grande Rota das Aldeias Miticas

2ªEtapa














Home | O Projecto | O Objectivo | Equipa | Track GPS | A Preparação | 1ªEtapa | 2ªEtapa | 3ªEtapa | 4ªEtapa | 5ªEtapa | 6ªEtapa | 7ªEtapa | Estatisticas | Galeria | Contactos





2ªEtapa

26 Abril

Olhos de Agua - Ansião

Tipo de Etapa: Plana / Média Montanha

Kms: 93,9 Kms

Media: 16,5

Tempo Movimento: 5:25:29

Tempo Total: 7:51:52

 

A noite foi muito mal dormida.

A primeira noite é sempre assim, mas a verdade é que a cama não ajudava nem o ressonar do vizinho do lado.

O pequeno-almoço foi no Albergue, composto com sandes de marmelada e bananas.

Agora já sozinho, a partida foi às 9H15.

Sabia que agora iria mesmo começar a aventura a sério. Se acompanhado já era difícil, queria ver qual era a sensação de fazer as etapas sozinho. Estava um pouco ansioso. Nunca tinha partido para uma etapa com perto de 100kms sozinho em trilhos.

Até Fátima já conhecia os caminhos, por isso sabia o que me iria espera.

35 kms de média montanha, com piso com muita pedra e com alguns rompe pernas.

Eu pessoalmente tenho um problema quando ando sozinho. Quero acabar sempre o mais depressa possível. Não é muito boa estratégia para uma Grande Rota, mas acabei por me entusiasmar e cheguei em 2h14m a Fátima.

A etapa começava com uma grande subida e bastante inclinada, passando pela celebre Serra dos Candeeiros e os seus calhaus, acabando em estradões já perto de Fátima.

Como cheguei muito mais cedo que o previsto, andei a passear em Fátima e tirar umas fotografias. O tempo estava a piorar. O céu apresentava-se negro, com cara de chuva.

Almocei com o Albertino num dos restaurantes de Fátima. O belo do Bitoque com uma cerveja sem álcool.

Olhando para o céu, fiquei na dúvida entre ir com o impremiável ou não. Acabei por não ir e ainda bem porque o tempo ficou bem melhor.

De Fátima a Ansião eram 60 kms. Por aquilo que tinha lido eram basicamente planos.

Fácil, pensei eu. Vou levar 3h e meia. Completamente enganado. Realmente os trilhos são mais ou menos sem desnível, mas existiam por lá uns rompe pernas. Como me deu na carola acabar a etapa depressa, a parte final foi difícil.

Esta parte da etapa passa por trilhos muito bonitos dentro de pinhais e em outras zonas de muita beleza paisagística.

Uma situação curiosa foi quando parei ao pé de uma laranjeira e não resisti a comer 7 laranjas. Ui,ui soube que nem “gingas”.

O vento também apareceu em força nesta etapa, o que provocou um desgaste maior.

Cheguei a Ansião às 17H30 certinhas, um pouco cansado.

Como se costuma dizer e eu já tenho essa experiência em Travessias, o segundo dia é sempre difícil. O corpo não está habituado a dois dias a pedalar, o dormir na noite anterior nunca é o melhor, assim como a alimentação que também se altera bastante.

Foi uma etapa que gostei bastante, pensava que iria ser mais fácil. Acabei cansado, mas com muita vontade de continuar.

Às 20H05 deu-me a única cãibra do GR69. Foi de imediato à farmácia comprar magnesona. Bebi uma ampola. Foi a única que consumi.

Depois de uma volta nas desertas ruas de Ansião, jantamos na Cervejaria lá da Zona.

Depois do belo bife à casa com uma imperial, estava na hora de ir lavar a roupa e dormir na bela casa na Pensão Saul.

Dormir às 22H 

 

 

Notas:

Pequeno: Almoço: Sandes Marmelada, Bananas

Almoço: Bitoque

Jantar: Bife à Alquimista

Barras consumidas durante o dia: 4

Agua consumida durante o dia: 5,5 litros